A reforma da SUA previdência

23 de abril de 2019

A reforma da previdência é um dos temas mais abordados no país em todos os canais de comunicação. Ela tem o maior peso no déficit público e esse artigo irá ajudar a você que possui previdência privada a fazer a sua “nova previdência”.

A política mudou, a economia mudou, e se você continua com a mesma previdência cia privada que você tinha antes é bem provável que esteja deixando de ganhar um bom dinheiro com rentabilidade ou perdendo dinheiro em grandes taxas cobradas pelos grandes bancos. Vou dividir esse artigo em 3 passos sobre o que você deve fazer para “reformar sua previdência privada”.

Primeiro passo: Conheça a taxa de administração do seu plano – cobrada anualmente pela empresa administradora, é descontada em cima da rentabilidade do fundo, essa é a taxa que devemos olhar com mais cuidado.
Não é difícil vermos previdências com taxas contratadas de 2,5% a.a (ou mais) para fundos de renda fixa. Estando a nossa taxa básica de juros em torno de 6,5% a.a, vamos supor que essa empresa de previdência aloque os recursos em títulos do governo atrelados ao CDI, esses recursos não vão render mais do que 4,5% a.a e, descontando ainda os impostos, esse investimento será pior do que se estivesse aplicado em poupança. Vários gestores independentes de fundos de investimentos viram uma oportunidade imensa nesse mercado e possuem diferentes fundos, chamados de Multimercados. Diferente dos fundos de renda fixa, esse tipo de fundo também pode fazer alocações em câmbio e bolsa, e de acordo com o cenário que o gestor esti- ver trabalhando ele aumenta e diminui as posições. Esse tipo de produto tem mais volatilidade, porém no longo prazo tem melhores rentabilidades, nesse caso é normal o investidor pagar entre 1,5% e 2% a.a em taxa de administração.

Segundo passo: Taxa de carregamento – Cobrada em algumas seguradoras em cima do pagamento mensal, caso você saque o recurso ou faça uma portabilidade. Essa taxa foi zerada por diversos bancos e seguradoras, e se você ainda paga ela mensalmente, seu patrimônio final pode ser bastante reduzido.

Terceiro Passo: Fazer a portabilidade da previdência para seguradoras com melhores taxas, melhores rentabilidades e com um portifólio vasto de gestores independentes para escolher. Por recursos em previdência não contarem com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito ou do Administrador do produto, a segurança geralmente é a mesma ao investir nos bancos ou fora deles, por isso deve-se sempre optar por planos com melhores rentabilidades e menores taxas.

Artigo escrito por Júnior Martinelle – Corretor de Seguros e Previdência, Sócio e Assessor de Investimentos da APX Golden Investimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *